Siga-me no Twitter

Webmail: Senha:

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

PrincipalApresentaçãoRealizaçõesPublicaçõesRedes SociaisLinks


Para contato profissional, acesse
: br.linkedin.com/in/josejunior1

DICAS DE LOGÍSTICA

   
  • DEZ/13
  • NOV/13
  • OUT/13
  • SET/13
  • AGO/13
  • JUL/13
  • JUN/13
  • MAI/13
  • ABR/13
  • MAR/13
  • FEV/13
  • JAN/13


"Milk Run":


Ao pé da letra significa Corrida do Leite. E foi baseado justamente nas coletas de leite do passado que a logística moderna foi buscar esta ferramenta de ganho de produtividade. É fortemente empregada na indústria automobilística e consiste em um sistema de coletas programadas de materiais, que utiliza um único equipamento de transporte, normalmente de alguma transportadora para realizar as coletas em um ou mais fornecedores e entregar os materiais no destino final, sempre em horários pré-estabelecidos. Assim, esse sistema de coleta programada de peças permite um maior controle sobre as peças realmente necessárias e utiliza uma maior frequência de abastecimento (lotes menores) com consequente redução de estoques.


Custo da falta de estoque (Stockout Cost) :


É o custo originado pela falta um item de estoque quando se recebe uma solicitação (no nosso caso a SA). O valor do custo dependerá da forma que a empresa define para enfrentar a falta do item. Desde não reagir, gerando assim um custo de perda parcial ou total das suas necessidades, passando pelo custo de tentar comprar com urgência o item ou pelo custo de se alterar toda a programação de produção ou manutenção.



FIFO ou PEPS:

Significado:

PEPS = Primeiro que Entra, Primeiro que Sai

FIFO = “First In Fisrt Out” (é a mesma coisa, só que em inglês)
É uma das metodologias mais comum de negócio em uma indústria que produz conforme a demanda. Assim podemos dizer que à medida que os materiais são solicitados, damos baixa primeiro nas primeiras unidades recebidas. Isto vale para materiais no almoxarifado, bem como para os produtos vendidos.


Armazenamento por locação fixa ("Fixed-Location Storage"):


É um método de armazenamento no qual uma localização permanente é designada para a guarda de cada item em uma área de estocagem. Embora mais espaço seja requerido para a armazenagem dos itens, lugares fixos tornam-se familiares aos almoxarifes facilitando a localização, atendimento e checagem dos níveis de estoque.


Armazém Alfandegário ("Blonded Warehouse"):


É utilizado para armazenamento de produtos importados/exportados até o pagamento das taxas e impostos, após o qual ocorre a liberação pelos órgãos de fiscalização.

 


Modais :

São tipos ou meios de transporte existentes. São eles: rodoviário (feito por rodovias); ferroviário (feito por ferrovias); hidroviário (feito pela água); aeroviário (feito de forma aérea); e dutoviário (feito por dutos).

Modais


Modais Dutoviario


"Sider":

É um tipo de carroceria de caminhão que tem lonas retráteis em suas laterais.



Sider
Sider


Ad-Valorem (ou frete valor):


É uma taxa proporcional ao valor. Tarifas de frete ou alfandegárias proporcionais ao valor total dos produtos da operação constante na nota fiscal. É uma taxa utilizada pelas transportadoras para agregar seguro ao produto.



Contêiner:

Contêiner (Container, em inglês): É um "caixa"’ cujas medidas padrões são de 10 pés de largura por 20 ou 40 pés de comprimento e que é utilizada para transporte de cargas. Inicialmente os contêineres eram utilizados somente para o transporte de cargas por via marítima. Atualmente são também transportados sobre chassis de caminhões ou em vagões de cargas ferroviários (flatcars).”

CONTÊINER






Conteiner

"FLATCAR"

Flatcar


Logística:


“É o processo de planejamento, implementação e controle do fluxo e armazenagem eficientes e de baixo custo de matérias-primas, estoque em processo, produto acabado e informações relacionadas, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do cliente”.

Fonte: Associação Brasileira de Logística


Profissionalize sua gestão de suprimentos em nove passos – 3ª parte:

7º passo: Sistema de gestão.
Tente utilizar ao máximo o MRP da sua empresa sem ter sistemas ou controles paralelos. O coordenador de TI pode ajudar a montar relatórios específicos (pode transferir e trabalhar no Excel). A recomendação neste caso é fazer primeiro em Excel, testar a lógica e resultados para poder ajudar o programador a fazer as especificações que precisa.

 8º passo: Pessoal.
Assegure envolver toda a equipe no mesmo objetivo. Uma vez conseguida a confiança do pessoal você poderá delegar, dar autoridade, mas também cobrando responsabilidades. Os funcionários podem ter plena confiança e não devem temer a dar suas opiniões, mas a última palavra sempre deve ser sua.

9º passo: Preparação de reuniões para negociação
Utilize a metodologia SEAT para qualquer tipo de negócio ou consultoria.

S = Status: Objetivo geral e os avanços que possui até a data e o que falta (recursos/ pessoas de contato) e também a falta de avanço. Neste ponto deve ser bastante político.

E = EXPECTATIONS: O que se espera da reunião e do chefe. Não se deve limitar-se ao chefe. Verifique se seria interessante levar alguém da direção para explicar os benefícios, mas isso somente depois de esgotar as possibilidades com o principal contato.

 

A = ACTION: Ações que precisam ser alcançadas e o objetivo, assim como o tempo que será necessário para normalizar o projeto com a intervenção da nova pessoa.

T = TIME: Tempo que se está tomando da pessoa (45 minutos no máximo). Se necessário, agende nova reunião e não estoure o tempo. Saiba que deve atrair a atenção das pessoas nos 2 a 4 minutos iniciais.

 Utilize a metodologia AIDDA para reunião com os “Cs” da organização (CEO, CFO, COO, CIO).

A = ATTENTION: Nos primeiros 30 segundos, ao entrar na sala de reunião, verifique se existe alguma coisa como foto, objeto, etc., que possa estabelecer algo em comum e inicie uma conversa informal. Isso quebra o gelo e reduz as defesas normais. Gera confiança e facilita os próximos passos.

I = INTEREST: O que você pode fazer por mim e minha situação / características e benefícios de sua proposta, atividade, melhoria, mudança.

D = DESIRE: Você pode provar as suas alegações / exemplos de resultados positivos em situações semelhantes, os resultados de não fornecer ou implementar as propostas.

D = DECISION: É correto fazer agora? / ultrapassar os obstáculos e sair na frente dos concorrentes.

A = ACTION: Vou agir agora ou quando? / forneça duas opções táticas para impedir o “não” ou então o adiamento da proposta.

 


Profissionalize sua gestão de suprimentos em nove passos – 2ª parte:

4º passo: Reunião SIOP (Sales, Inventory, Operations, Planning).Participe das reuniões de produção e SIOP’s objetivando entender e prever as necessidades de materiais e serviços. Trabalhe o mais perto possível com PCP e a direção de produção (ou com os principais clientes internos) para cuidar dos volumes de compras, além de evitar altos inventários e os erros de obsolescência e “slow moving”. Se não existir reunião de SIOP’s é uma boa oportunidade para implantar.

5º passo: Rever procedimentos.
Revise a política e todos os procedimentos de compras. Assegure sempre ter dois (02) ou três (03) orçamentos para qualquer material, avaliando com o cliente interno todas as opções, seja preço ou disponibilidade de entrega (sempre de acordo com os padrões internos). É importante lembrar-se de solicitar à produção uma previsão mensal das suas necessidades (“12 month rolling”) para poder negociar quantidades esperadas com os fornecedores.

O ideal é sempre passar uma previsão de compra (“forecast”) para os fornecedores, especialmente os fornecedores “As” para poder ter melhor previsão de compras e evitar atrasos ou “stock outs”. 

6º passo: Indicadores internos e KPI’s.
Desenvolva indicadores chaves de desempenho interno como: quantidade de pedidos (# pedidos X mês); % entregue em tempo e em atraso; tempo do processo de compras (em dias) entre a solicitação da compra e a efetivação do pedido de compras; qualificação de fornecedores dando uma nota mensal de nível de serviço e qualidade (valores e volumes atendidos > 97% como meta). Neste caso avalie os fornecedores “As” mensalmente e os demais trimestralmente.  Verifique que outros indicadores o departamento já tem e assegure se estão atualizados. Publique-os ao chefe imediato e às diretorias envolvidas das outras áreas para poder apreciar os esforços e os resultadoss do departamento e do time.





 
Contato Curriculo Home Currículo